Alienum phaedrum torquatos nec eu, vis detraxit periculis ex, nihil expetendis in mei. Mei an pericula euripidis, hinc partem.

História – Mamãe Clory

Lar da Mamãe Clory / Sobre Nós / História – Mamãe Clory

Mamãe Clory: Uma história de amor e renúncia

Clory Fagundes de Marques durante seus 94 anos foi mãe adotiva de mais de 1.500 filhos. Vivenciou o amor com força, atitudes sempre positivas, sabedoria e muita renúncia de si mesma, em função da caridade prática.

Ela sequer teve lua de mel. Com menos de oito dias de casada, adotou a primeira filha. A criança foi deixada na porta de sua casa. Não pode virar as costas para esse fato. Começou assim a sua missão.

Nascida em Alegrete (RS), foi criada numa fazenda do sul do Mato Grosso do Sul. Casou-se nos anos 40. No final da década de 60, tinha 87 filhos. Nesta época se mudou para São Bernardo do Campo (SP). E que sacrifício mudar com tanta gente para levar.

A prefeitura ajudou, doando um terreno para o início da construção da Associação Cristã Verdade e Luz, mais conhecida como Lar da Mamãe Clory, que hoje possui restaurante, bazar, vendas de móveis usados e outros utensílios que a casa ganha, geradores de recursos para manter as mais 100 crianças e idosos assistidos pela entidade.

Os filhos de Mamãe Clory são hoje médicos, advogados, engenheiros e moram pelo Brasil afora. Alguns estão longe: USA, Canadá, Dinamarca, Suiça, Japão e Portugal.

Mamãe Clory é um dos nomes mais importantes na Grande São Paulo na área de assistência social e de exemplo de ser humano comprometido com a caridade prática.

O Lar da Mamãe Clory mantém diversas atividades como creche, apoio educacional, cultural e esportivo para adolescentes, núcleo de educação ambiental e núcleo de atendimento à família.

Embora reconhecida como de utilidade pública municipal, estadual e federal, a entidade não recebe subvenções tampouco mantém convênios governamentais, se mantendo com recursos próprios, obtidos por meio de eventos, parcerias e doações.

Clory faleceu em 21 de novembro de 2011, aos 94 anos, deixando como legado de vida, fazer o bem sem olhar a quem e sem pedir nada em troca.