Alienum phaedrum torquatos nec eu, vis detraxit periculis ex, nihil expetendis in mei. Mei an pericula euripidis, hinc partem.

Eventos

Lar da Mamãe Clory / Uncategorized  / Por que comprar em um bazar de móveis usados?
Bazar de móveis usados

Por que comprar em um bazar de móveis usados?

Quem procura solução para os problemas visita o bazar de móveis usados. Parece exagero? Mas vou dizer que não é não. E ainda explico a razão.

A maioria das pessoas alega que nunca tem dinheiro para fazer nada. Seja para reformar um cômodo da casa, seja para tirar do papel aquela ideia de negócio.

Tudo bem que seria ótimo se o dinheiro fosse mais acessível a todos. Mas já que a realidade é outra, usemos a criatividade conforme as nossas possibilidades. E foi visitando o bazar de móveis usados do Lar da Mamãe Clory que essa reflexão surgiu.

Cabeceira virou banco

Talvez você seja como eu que gosta de buscar na internet inspirações para a decoração da casa. Nem sempre a gente vai comprar algo novo, mas às vezes podemos dar uma repaginada em algo antigo, quem sabe?

Como tenho o costume de visitar o Lar da Mamãe Clory, seja para doar algo ou para comer no restaurante da instituição – que cá entre nós é uma delícia! – vira e mexe dou um pulo no bazar de móveis usados e no bazar de roupas, calçados e acessórios.

Nesse dia eu vi uma cabeceira de cama meio escondidinha e empoeirada. Mas deixei lá. Passa dia, dois dias e ela na minha cabeça. Voltei e comprei. Claro que meu marido me chamou de louca. Mas eu falei que era uma pechincha! E era mesmo.

Como eu queria uns bancos para área externa da minha casa, uni o útil ao agradável. Cabeceira virou encosto, palete do mercado virou assento e retalhos de calças jeans usadas, aqui do pessoal de casa, ganharam nova vida como almofadas e assento.

Deu trabalho para fazer, é verdade. No entanto, quando fui visitar parentes no interior, passando por aquelas lojas de móveis rústicos, notei que havia bancos semelhantes a minha criação.

Olhei os preços e chamei o marido. Pois é, a “louca” fez uma bela economia…

Fique por dentro das novidades do Lar da Mamãe Clory!

Quando todos ganham no bazar de móveis usados

Então fiquei com aquela coisa na cabeça. Não era apenas o dinheiro que eu havia economizado. Muitas pessoas e o planeta também foram impactados positivamente pela minha atitude.

  • Porque ao comprar no bazar de móveis usados, eu deixei uma contribuição para o Lar;
  • O Lar pôde continuar com o trabalho e ajudar famílias;
  • Aquele móvel não foi descartado na natureza;
  • Ao fazer o banco, eu também usei paletes que estavam jogados no tempo (ainda em bom estado);
  • Também deixei de descartar tecidos jeans;
  • Apliquei minhas habilidades enferrujadas de artesanato;
  • Lixar e pintar as partes deu um trabalhinho viu! Então vou contar como exercício físico também;
  • Além de ter me deixado mais leve, porque artesanato é uma arte-terapia pra mim;
  • Comprei lixas e pincéis, então fiz a economia do meu bairro girar;
  • Usei umas tintas que o marido insistia em guardar na garagem;
  • Pedi para o marido me ajudar com as madeiras e nos divertimos juntos;
  • Meus familiares e amigos têm mais opções onde sentar quando nos visitam;
  • Finalmente “ganhei” um móvel novo;
  • Minha casa ficou mais bonita.

Procurei fazer essa listinha de benefícios para que ficasse mais fácil de visualizar. E também expor às razões as quais a minha reflexão de comprar em bazar de móveis usados é um ótimo negócio.

Leia também: Bazar dos móveis: Como montar sua casa, economizar e ajudar ao próximo? 

A gente precisa mesmo de tudo novo?

O banco de casa foi inspirado na foto que ilustra esse artigo. Por isso quis compartilhar com vocês para que também se inspirassem. Porque é simples.

Depois de ter tirado o pó e à medida que ia lixando a cabeceira, era como se eu estivesse revendo umas ideias também. Dando cor, forma e compartilhando umas conversas solitárias. Bem, eu diria que é terapêutico esse trabalho.

Quando coloquei no papel o quanto eu havia gasto com a minha cabeceira-banco eu levei um susto! Não chegou a 100 reais. Menos da metade do que o banco rústico.

Então, se é tão bacana tudo isso, por que a gente diz que precisa de coisas novas? Será que essa coisa “nova”, não pode ser algo “velho repaginado”? Gostei muito dessa ideia.

Aliás, a natureza agradece também

Depois eu fiquei pensando na natureza. Ao comprar coisas no bazar de móveis usados estamos poupando objetos grandes e pesados de serem descartados. Então deixamos de extrair do meio ambiente madeira e outros recursos que levam anos para serem formados. Que tal colocar essas ideias em prática?

Agende uma visita ao lar!